Patologias

Displasia coxo-femoral(da anca)

Raças de Risco: Qualquer raça pode padecer deste mal, mas as raças de grande porte, têm maior incidência devido ao esforço suplementar que suportam durante o crescimento. Destas destacamos o Serra da Estrela, Rottweiler, Pastor Alemão e o Dogue Alemão (Grand Danois).

Factores que predispõem: Exercício físico em excesso; excesso de uso de cálcio; alimentação desequilibrada e hereditariedade.

Tratamento da Displasia: Não existe cura da Displasia. É necessário recorrer a medicação até ao final da vida dos animais. Em casos extremos só pode ser corrigido com a ablação da cabeça do fémur para evitar o atrito, ou prótese total da anca. O animal nunca poderá ter os mesmos níveis de movimento que um saudável, mas a sua condição melhorará substancialmente, tendo no entanto que fazer um acompanhamento médico até ao final da sua vida. De notar que esta cirurgia é extremamente onerosa. Os criadores que cruzam somente animais que fazem o despiste de displasia da anca têm verificado a diminuição de incidência da mesma. No entanto os não criadores, que por ignorância cruzam animais sem saber os seus antecedentes, estão entre os primeiros a ter este tipo de problemas. É assim de todo aconselhável, que os animais que possuem Displasia, não cruzem, de forma a evitar o aparecimento da mesma nos seus descendentes. Exija sempre ver os pais quando adquire um animal destas raças, bem como um certificado de Isenção de Displasia dos mesmos, que deverá ser emitido por um Médico Veterinário. De qualquer forma é sempre aconselhável consultar um Médico Veterinário, antes de adquirir um animal, para se informar melhor sobre os prós e os contras de cada raça.

Nota importante

Todas as informações supra mencionadas, só deverão ser consideradas a título meramente informativo. Para obter um parecer consulte sempre um profissional, devendo qualquer problema de saúde com o seu animal, ser sempre tratado e acompanhado, pelo seu Médico Veterinário.